segunda-feira, 9 de março de 2009

Programa de índio

No sábado eu quis passar a tarde no shopping, queria aproveitar que era sábado e comprar umas lembrancinhas para levar para o Brasil. Só que o marido resolveu que queria ir junto... eu achei a idéia péssima, mas ele tanto que insistiu e prometeu que não iria abrir a boca para reclamar ou me apressar que eu acabei me iludindo com a crença de que levar homem em shopping para fazer compras pudesse ser possível. Então, depois do campeonato de tênis do super Rafa (jogou contra 3 adversários, ganhou de dois) fomos para o inferninho. Sim, porque eu não gosto tanto assim de shopping não. Fazer compras cansa. Principalmente quando não sei bem o que preciso ou devo comprar e, pior ainda, num sábado que é quando todo mundo resolve ir fazer a mesma coisa: perder tempo de loja em loja. Gente para tudo que é lado, filas no caixa, uma esculhambação, tudo um saco. Mil vezes sentar num pub...

Preciso dizer que o Rafa ODIOU o programa? Entre "Babbo, a mama não pode ver loja de sapatos que ela fica hipnotizada! Ajuda a fechar os olhos dela" e "Não mama, por favor! Não entra na loja porque tu nunca mais sai de lá de dentro!!!", consegui experimentar um par de sapatos, comprar um par de brincos e umas camisetas encomendadas.

O Max, como havia prometido, não abriu a boca para reclamar de nada, mas mesmo assim me deixou estressada. Em cada loja que eu entrava ele perguntava "O que procuras aqui?" E eu sei lá? Eu estava só olhando, vendo se havia algo de interessante... Entre uma loja e outra, mais uma pergunta sem sentido "Em que loja estamos indo? O que falta comprar?" Aaaaarrrgh!!!Estávamos no final da primeira volta pelo shopping e ele larga "Estamos quase terminando..." Como assim??? Aquela era só a primeira rodada e eu nem havia percorrido as lojas do lado de fora ainda!

Acabei desistindo, não estava dando muito certo. Sugeri que eles fossem para casa e me deixassem por lá mas ultimamente andam num grude, pior que chiclete. Mal consigo ir no banheiro sozinha! Resultado, não encontrei tudo o que eu queria e acabamos voltando para casa horas antes do previsto...
previsto por mim, é claro!

7 comentários:

LIA B. disse...

Concordo contigo, homem junto no shoping nem pensar, não importa a idade, basta ser homem. Por certo até o homem mudo, ainda que temporariamente, atrapalha, pois o silêncio pode ser pior.... Na próxima sugiro que enquanto tu fores as compras eles, Max e Rafa filho de peixe peixinho é) se organizem para um passeio d homens. hahahahahahhahaha!

Massimiliano Codacci disse...

Eu concordo tambem, ma o cartao fica junto de l'homem.
hihihihihihihihihihihihih!!!!!!!!!!!!!!!!

Liziane Dotto disse...

Acho que isto tudo faz parte de um plano para enlouquecer as mulheres, e quanto ao cartão de crédito... avisa ao MAx que isto é coisa de homem antigo que se importa com $, bonito mesmo é pelo menos fingir que está tudo ótimo!

Ale Bartelle disse...

Mãezinha,
também acho, eles que façam algum programa de homens e me deixem passear no shopping em paz!

Max,
que feio! Da próxima vez vou te lembrar de me me passar o cartão ao invés de usar o meu! E olha que não vais ter desculpa porque está registrado aqui.

Lizi,
bela resposta! E depois dessa vou cobrar esse tal cartão pra pagar as minhas compras. Até parece!

Beijos!!!

delitiae disse...

Uomini dove siete, accorrete a difendermi, mi stanno facendo nero.

Eu brinco,
camminerei senza scarpe per fare l'Alessandra felice

Nossa Senhora do Ó disse...

São sempre assim, tão idênticos? Patético!
Bjs

pedrinhomartins disse...

aahahahahahah!!! Demais esse texto!!!!