sábado, 10 de janeiro de 2009

Banzo


Tá muito frio, ninguém merece! Eu preciso de sol, de luz, de calor. Sou uma pessoa do verão, me sinto muito melhor e fico bem mais bonitinha durante o verão. O inverno me deprime, me deixa mal humorada e me embagulha. Tô reclamando de barriga cheia (sim, cheia, como sempre acontece em dias frios e eu não paro de me empanturrar com carboidratos)? Vem passar quase 1 ano inteiro no frio para ver o que é bom! Quando te deres conta que o verão dura só umas mirradas 2 semaninhas quero ver o quanto aguentas.

Sabe o que acontece com a minha pele no inverno? Eu não fico branquinha marfim feito a Nicole Kidman. Eu fico com uma cor desbotada, com cara de doente, cheia de manchas visíveis na pele. Meu cabelo fica espigado, opaco. E o pior de tudo, eu não consigo parar de querer comer doces, biscoitos, bolos, chocolates e beber vinho. Muito saudável, não!? E sair para dar as minhas corridas? Sempre um sacrifício com esse frio, fora que quando há alguma luz eu estou enfurnada no trabalho ( e para quem não sabe, eu trabalho das 9 às 3:30). Ou seja, correr= fins-de-semana ou no escuro.

Houve uma época em que eu gostava de inverno. Mas daí eu morava numa bela casa com lareira, pinhão, quentão e mal dava tempo de enjoar e lá vinha a primavera. Aqui parece que o inverno dura para sempre.

Eu moro num outra bela casinha (adoro minha casinha), num hemisfério, paralelo e latitude completamente diferentes, tudo diferente. Com aquecedores em todas as peças. Onde eu bato a porta e deixo a casa sem receios de que seja arrombada (sem muros ou grades). Onde, se eu quiser, posso voltar no meio da madrugada sozinha, de carro ou a pé, sem ser assaltada, estuprada ou assassinada pela cobiça do meu relógio de pulso vagabundo ou dos trocos na minha carteira.

Como eu sempre digo para quem me pergunta o que eu faço por aqui quando ficam sabendo que venho de um país paradisíaco: "cada lugar tem seus altos e baixos, tudo depende de onde os pós e contras pesam mais ou menos na balança de cada um..." Sabe o que eu quero dizer? É algo pessoal, um particular de cada pessoa. Mas eu sinto falta de todas as coisas boas da minha terra natal. Assim como eu também sei que seria muito difícil e dolorido abrir mão de todas as oportunidades que eu tenho por aqui. A mais importante de todas, para mim, é o ser eu. Me sinto mais livre para ser quem sou, ou até para me re-inventar quando me bem calhar (mais sobre o assunto numa outra oportunidade). Aparentemente é um sentimento comum às pessoas imigrantes. Seja lá o que for, me faz sentir livre e isso é bom.

*************************************

Estou no finalzinho do livro "American Gods". Ainda não sei se estou gostando, acho que meu veredito final vai ser quando eu terminá-lo. Estou com grandes expectativas e espero que "Shadow", o personagem principal, não me decepcione. Por sinal, ele me lembra muito do H, meu hairstylist no Brasil. Não pergunte.

**************************************


Esse fim-de-semana está quietinho. Porque fui preguiçosa o suficiente pra não levar a cachorra para passear durante toda a semana, bateu a maior culpa e levei-a para uma caminhada de quase 3 horas hoje. Um frio que ninguém merece, mas lá fui eu. A cachorra corria enlouquecidamente e eu caminhava velozmente para não congelar. Foi bom. Siberiano, mas bom. No que cheguei em casa, me meti embaixo das cobertas até o corpo parar de tremer.

7 comentários:

Claudia disse...

É verdade... Morar aí tem vantagens que aqui não se tem! Mas o clima....Credo!!!!!
Pior seria ficar os 365 dias do ano passando frio, mas não é assim q acontece não é mesmo? pelo menos 60 dias desses 365 são passando calor, né não?
Costumo dizer q tudo o q tinha aí eu não tenho aqui e o q tenho aqui eu não tinha aí....É...Parece que a cada escolha uma renúncia ou não dá pra se ter tudo!!
Gostava de morar em Londres mas amo meu país "cagado"... Acho que tem haver com referências e acima de tudo pai e mãe por perto. Cada ano q vinha pro Brasil via meus pais mais velhos e isso me dava um nó na garganta, na barriga, no cérebro...
Mas agora, sinto uma falta medonha de ti aqui, porém compreendo perfeitamente tua escolha em morar aí... Pena q é tão longe e ainda tão caro pra eu ir te visitar ao menos 1 x por ano que juntando a tua visita de uma vez por ano somaria no mínimo 2x por ano, podendo ter minha mana amada perto de mim fisicamente!
Sinto saudades tuas e do Rafinha e do Max... Q família maravilhosa! Espero ver o Max este ano, pois, acho q a última vez q o vi faz uns 3 ou 4 anos!?!?!?
Ale amada, amo ler o q escreves, viu? Nunca pare!!!

LIA B. disse...

Ale amada, tenho acompanhado os teus folhetins e tenho achado fascinante. Acho uma maravilha como colocas o teu cotidiano, pontuando e revelando de forma divertida os teus humores, imprimindo otimismo, animação, sentimentos e emoções com uma clareza de linguagem que certamente encanta aqueles que por aqui tem passado.
Lendo os teus folhetins tenho a sensação de que estou junto contigo, fisicamente, vivenciando cada momento de teu dia-a-dia, pois cada nota, tema, pensamento mostram o teu sentir, pois, me parece que deixas fluir, sair ou escapar coisas de teu inconsciente que delicadamente transparece.
Quisera ter o dom de colocar no papel os meus humores e emoções de forma tão encantadora como o fazes. Parabéns! Acho importante que continues revelando nos teus folhetins notas de teu cotidiano, pensamentos, tuas memórias, enfim teus humores.
Não escrevi antes em razão de ser muito atrapalhada. Um beijo com muito amor. mami

Mariana Castilhos disse...

Mentirosa!!!!
Como assim, manda um email todo tímido, se explicando pela falta de talento para escrever e me colocauns posts assim, interessantíssimos! Estão ótimos Ale. Tu escreves super bem, sim! Estou adorando. Adoro blogs, já tive um e estpu montando outro, com receitas, é claro. Um beijão
Mariana Castilhos

Christina Gadret disse...

Ale querida, ameeei ler teu blog!!!! Virei mais tua fã ainda e estou adorando saber detalhes do teu cotidiano....
É impressionante como dá para perceber o quanto estás feliz com a tua vida aí.... Claro que o frio realmente deve incomodar um pouquinho, mas é muito bom sentir essa energia tão boa ao ler tuas palavras....
Não sou muito entendida nestas coisas e é a primeira vez que escrevo no blog de alguém... Achei uma ferramenta MARAVILHOSA e espero poder te acompanhar toda a semana. Aliás, como tu escreves bem!!!! Fiquei impressionada meeesmo, pois depois de tanto tempo morando longe, consegues manter um português impecável... parabéns!!!
Quando vem o primeiro livro????
Muitos beijos com saudades,
Tina

p.s. O Rafa tá muito lindo e grandão!! Parabéns!!
p.s.2 Quero mais fotos tuas!!!!

Anônimo disse...

Querida Alexandra a muito tempo queria ter mantido contacto contigo, porem nao tinha teus correios eletronicos. Lia passou teu Folhetin. Gostei bem sugestivo. Eu tambem estou como tu detesto este frio e o pior que junto as festas se come demais e a barriga cresceu. Otra coisa tenho um apto em Macieo me esperando eu eu aqui sofrendo frio e neve. Ah, por ceto etsou em Barcelona. Sobre teus comentarios de viagens inetressantes. Roma sem duvida é toda história e Firense é arte.Quando puder va a Venecia nao se pode morrer sem visita-la. Eu de Italia me falta conhecer mais cidades do norte a Toscana e o sul desde Napolis a Monópili, Campilia conheço tudo.
Bem Alexandra, por afvor me escreve meu mail -jussara@vismon.com. Tambem tenho Sjkipe e mENSSENGER.
aH. PROXIMA SEMANA ACONTECE EM bARCELONA A MAIOR FEIRA D EMODA URBANA. fEITA POR ALEMAES O bread&Butter E EU COMO JORNALISTA de moda estarei la.
As fotos de teu "niño" y marido estao otima. Falta uma tua.
Tambem desejo para ti um 2009 cheio de sol, amor, alegria e muita Paz.
Envia teu mail que enviarei muitos "attaches". Beijso com cairnho de Jussara Maria.

Hamilton disse...

Quem tem o Rafa e o Max não pode se queixar da vida.
Também não pode se queixar do frio, porque este convida a meditar, a filosofar, a escrever, como estás fazendo no teu blog, e muito bem. Se estivesses morando aqui, com o calor senegalesco que faz, não conseguirias dizer tantas coisas bonitas, no máximo conseguirias derreter o teu cérebro.
Continua escrevendo e eu continuarei lendo.
Beijão

Ale Bartelle disse...

Hamilton,

vi tua mensagem só agora. Nem sabes como me sinto honrada e boba de contente por saber que és doido de perder tempo com as minhas bobagens!

Beijão!