quarta-feira, 3 de abril de 2013

Treinar para mais uma maratona? Claro, barbada...

Sabe quando é a maratona de Paris? No próximo domingo. Sabe como foi o meu treino? Muito decepcionante. 

Eu comecei bem, super bem. Comecei o treino em outubro. Vinha seguindo a planilha mais do que bem: quando dizia 10 km eu corria 12, quando dizia 6 km, eu corria 8. E saía para correr religiosamente 5 vezes por semana. Achei que as férias no Brasil em dezembro/janeiro fossem me desviar do meu treino, mas não. Consegui manter. Daí eu volto para Londres, continuo firme, só que começa a nevar. Mas eu saio para correr mesmo com neve. Só que neva demais. Mas eu não dou o braço a torcer e vou para a esteira. E então, é quando o drama começa. Primeiro é uma dorzinha muito chata na parte da frente das canelas - split shins - e logo em seguida a chata da cintura direita resolve não bem doer, mas, digamos, se fazer presente. Claro que eu resolvo ignorar. Teimosa, vou "correr" na rua e não demora muito para eu estar tão seriamente capengando que finalmente dou-me conta que realmente não dá mais. Sem outra opção, tiro uns dias de descanso. 

Quase duas semanas depois e não sinto mais nem a cintura direita nem as canelas. Aliás, me sinto tão bem que me dou conta que tinha um amontoado de dores que eu vinha ignorando e que agora se foram.Viva! Um corpo novimho e descansado. Vou poder participar da corrida de 33 km (20 milhas) que se aproxima.

Quase 2 semanas sem correr parece nada, mas conta horrores num treino. Essex 20 milhas é a minha primeira corrida (e no caso, a única) antes da maratona, aquela para testar como vai indo o treino. O dia estava bom, não muito frio e sem chuva. O percurso foi bem legalzinho, sem nenhuma subida horrorosa, ondulado na medida certa. Apenas 3 voltas num vilarejo fofo, com vaquinhas e cavalos nos olhando pela cerca. Entrei na segunda volta me sentindo super bem e forte, vai ser sopa, pensei. No final da segunda volta e eu nem acreditava que estava indo tão bem. "Se continuar assim vou terminar em menos de 3 horas! Que beleza!", pensou a delirante.

Bah! Mal começo os últimos 10 km para o corpo e a cabeça começarem a incomodar. Meu trote começa a diminuir drasticamente, todos os gordinhos e asmáticos do mundo começam a me passar e eu vou ficando cada vez mais pra trás. Faltam 5 km para terminar e eu estou quase me arrastando. Depois de uma eternidade, finalmente cruzo a linha de chegada. 

Completei a prova em 3hs 12 mins 21 segs. Muito decepcionada com a última volta. Mas deixa, "ainda tem tempo, ainda posso correr atrás", pensou a esperançosa.

Dois dias depois saio para correr e adivinha quem me ataca com tudo? Esta porcaria desta dor na cintura, do lado direito, parece que é no osso, parece na coxa, eu nem sei, só sei que me faz capengar feio. Desde então parei de treinar para a maratona em si. Faz mais ou menos 1 mês que eu chutei o balde. E na sexta-feira estou indo para Paris. 

Se eu vou correr a maratona? Nem que eu me arraste, mas eu cruzo a linha de chegada!

(Ah! Mas uma coisa boa veio disso. Quando me dei conta que não ía poder mais treinar para essa maratona, fui experimentar yoga - sempre quis - para dar uma alongada nesse corpo. Gostei tanto que não sei como vivi sem até então. Tenho praticado quase todos os dias).


Um comentário: